O coração da empresa bate na contabilidade

É o Contador o grande responsável por administrar o recolhimento de impostos das empresas. De acordo com o IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário), foram arrecadados entre tributos federais, estaduais e municipais R$1,5 trilhão em 2011 – arrecadação que exigiu a dedicação diária desses profissionais. Se somado todo o tempo gasto no cumprimento das obrigações acessórias, os Contadores dedicaram cinco meses do ano somente para essa finalidade, também segundo o IBPT.
É o Contador o grande gestor que avalia, estrategicamente, qual é o melhor planejamento tributário a ser implantado em uma companhia. Estudando criteriosamente qual a atividade, o faturamento e a gestão de negócio para indicar a forma mais adequada e segura de estar em dia com as obrigações fiscais, pagando menos impostos. Tudo dentro da lei. A escolha correta do sistema tributário é vital para garantir a saúde e a sobrevivência de uma empresa.
O Contador também é um profissional essencial na vida de muitos contribuintes pessoas físicas. Ele auxilia o contribuinte na forma correta de recolher impostos, lembrando-o das datas da entrega do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física), dos bens a serem listados, insistindo nas informações que devem ser levantadas.
Contribuindo significativamente para o aumento da formalização de profissionais no sistema de MEI (Microempreendedor Individual), o Contador fornece consultoria gratuita para a inscrição, recolhimento de impostos e prestação de contas.
Atualmente, existem 290.331 Contadores (bacharéis) no Brasil. Só no estado de São Paulo, maior colegiado da categoria, são 73.884 profissionais. Se somados os técnicos, os números sobem para 483.780 no país e 133.923 no estado.
Para o presidente do CRC SP, Luiz Fernando Nóbrega, “os mercados do mundo inteiro voltam-se para o Brasil com a adoção das IFRS. O Contador, como responsável pela sua implementação, vive o seu melhor momento como profissional requisitado pelo mercado de trabalho e pela presença marcante como gestor”.
Fonte: Revista Incorporativa



Comentários