8 mitos e verdades sobre o empreendedorismo no Brasil

Que não é fácil, já se sabe. Mas o quão complexo e burocrático é empreender no Brasil? Confira abaixo alguns mitos e verdades para ajudar você a entender mais sobre o empreendedorismo no país elaborados por João Melhado, da equipe de Pesquisa e Mobilização da Endeavor.
1. O brasileiro sonha em empreender, mas isso não é tudo
Verdade! Segundo uma pesquisa da Endeavor, 76% dos brasileiros sonham em ser donos do próprio negocio, a segunda maior taxa do mundo, atrás da Turquia (82%) e muito à frente de Estados Unidos (51%) e União Europeia (37%), por exemplo. Mas vontade não é tudo e, na falta de ação, o brasileiro perde muito do seu potencial. Isso aparece neste dado: só 19% dizem que pretendem empreender nos próximos cinco anos, atrás de Estados Unidos, com 20%.
2. Abrir uma empresa em qualquer cidade do Brasil é demorado demais
Mito! De fato, em muitas cidades se demora um bocado para abrir uma empresa, às vezes passando dos 100 dias para obter o registro completo, como em São Paulo. Mas há lugares onde se pode abrir uma empresa em menos de uma semana, como Brasília, Belo Horizonte e São José dos Campos. Como nada acontece por acaso, essas cidades criaram grandes projetos para melhorar a vida das startups locais.
3. Falta dinheiro para as empresas e os empreendedores
Mito! Em um ranking do Fórum Econômico Mundial com 148 países, o Brasil ficou na 30ª colocação quando o assunto é disponibilidade de capital para investir em empresas, bastante acima da média mundial. Mas muitos empreendedores reclamam que esse é omaior obstáculo e eles não estão tão enganados: apesar de existir, o dinheiro de investimento muitas vezes é difícil de acessar: o país está na 64ª colocação do mesmo ranking internacional, muito abaixo na média. Ou seja, o problema não é a falta de dinheiro, mas o que os empreendedores precisam fazer para acessá-lo, como apresentar muitas garantias e o pagar juros altos.
4. Pagar impostos é coisa para super-herói
Verdade! Aqui, não estamos nem falando da carga tributária (que também é alta), mas da complexidade burocrática que o empreendedor precisa enfrentar para estar com tudo em dia. De acordo com o Banco Mundial, são necessárias 2,6 mil horas para pagar impostos no Brasil, de longe a taxa mais alta do mundo. E a explicação é simples: de acordo com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) são mais de 11,5 mil normas tributárias por ano. Só um super-herói consegue ficar por dentro de tantas mudanças na lei!
5. O Simples poderia ser ainda mais simples
Verdade! O Simples, um sistema de pagamento de impostos que visa facilitar a vida de micro e pequenas empresas, é um marco na história do empreendedorismo no Brasil, com muitas conquistas para comemorar. Mas podia ser ainda melhor! Hoje, nem todos os setores, especialmente os prestadores de serviços, podem ser incluídos no sistema. Além disso, mesmo que o Simples reúna oito impostos em um único pagamento, ainda são necessárias obrigações assessórias individuais, aumentando a complexidade do sistema. A boa notícia é que o Governo Federal, em conjunto com esferas nacionais, já tem propostas de melhorias bem encaminhadas.
6. Poucas empresas brasileiras crescem de verdade
Verdade! O Brasil tem mais de 4,5 milhões de empresas. Mas, dessas, apenas 34 mil (ou 0,7% do total) crescem mais de 20% ao ano por pelo menos três anos. E elas têm um impacto gigante na economia: em 2011, foram responsáveis por gerar 48,5% dos novos empregos e mais de 10% do valor agregado ao PIB (fonte: Endeavor/IBGE). Imaginem o impacto se tivéssemos 100 mil empresas de alto crescimento no Brasil? Há muitas razões para ainda não alcançarmos esse número, como a falta de preparo dos brasileiros para empreender e a complexidade tributária que o crescimento traz.
7. As empresas brasileiras são muito inovadoras
Mito! Apenas 11% dos empreendedores brasileiros iniciantes dizem que o produto ou serviço que oferecem é inovador, de acordo com o Global Entrepreneurship Monitor (GEM). É uma das piores taxas do mundo, junto com Bangladesh e Trinidad e Tobago. Um dos problemas é o mercado brasileiro ter restrições às importações, o que deixa empreendedores “confortáveis”, mas eles também precisam ter sonhos maiores: só 10% dos empreendedores planejam contratar mais de cinco pessoas cinco anos depois de iniciar o negócio. Na Turquia, são 59%; no Chile, 36%; nos Estados Unidos, 30%.
8. O empreendedor brasileiro tem muitas opções para se capacitar
Verdade! Três dos quatro maiores problemas do empreendedor brasileiro estão ligados à falta de conhecimento. Mas a falta de apoio para o empreendedor se capacitar não pode ser uma desculpa. Pode melhorar muito (especialmente a qualidade), é claro, mas organizações como Sebrae, Endeavor, aceleradoras e as próprias universidades têm diversos programas que incentivam empreendedores e potenciais empreendedores. Quanto mais informação e conteúdo o brasileiro tiver sobre o ambiente empreendedor do país, mais ele poderá cobrar por melhorias.

Fonte: Portal Guia dos Contadores



Comentários